terça-feira, 26 de agosto de 2008

Saindo do virtual


Shalom, amados!
Mais uma vez, repasso a vocês um texto do meu amigo Dourado....leiam e aproveitem!
Tive a oportunidade de refletir sobre este texto e gostaria de compartilhar com vocês aquilo que tenho aprendido.
Este texto é conhecido de muitos e está no contexto que uma mulher esposa de um profeta (poderia ser esposa de um pastor nos dias de hoje) simplesmente o homem morre, e deixa de herança dívidas e agora os credores estão a porta para levar seus filhos, pois a lei dizia que se o marido morresse, a viúva herdava a dívida e não conseguindo pagar, logo o credor era amparado por lei a pegar seus filhos para serem escravos até que a dívida fosse paga.
Interessante neste texto observamos que o homem era um profeta ( um homem de Deus ) e ainda assim estava com dívidas que podiam ser frutos de uma má administração ou ainda de uma má fase que ele estava passando na área financeira ( se a história fosse no Brasil hoje seria muito fácil ), contudo ele deixou dívidas e agora seus filhos teriam que pagar, logo os credores não eram enviados pelo MALIGNO mas estavam simplesmente amparados pela lei e assim deveria ser feito.
Agora aquela mulher não tendo mais o que fazer decide pedir ajuda ao profeta, ele pergunta o que ela tem em casa, a mulher responde que tem uma pequena botija de azeite, o profeta pede que ela busque vasilhas emprestadas, então o azeite começa a ser multiplicado e só termina quando todas as vasilhas estão cheias, após isso vem a ordem do profeta: Vai, vende o azeite, e paga a tua dívida; e tu e teus filhos vivei do resto, pronto o milagre foi estabelecido.
Sempre quando vejo o relato de um milagre, eu gosto de analisar a história e também a meta-história, ou seja, aquilo que está por trás, o que levou aquele milagre a acontecer, qual foi a dinâmica do milagre e esse texto é mais um desses.
Enquanto escrevo estas linhas, estou precisando de um milagre e ao ler este relato aprendo algumas coisas acerca de como um verdadeiro milagre acontece:
1 – Saio do VIRTUAL e mergulho na REALIDADE
Hoje em dia somos tentados a vender imagem na sociedade, daquilo que somos e fazemos, e existe um grande problema em vender imagem, pois mais cedo ou mais tarde descobriremos que nos amam não por aquilo que SOMOS mas por aquilo que PARECEMOS SER diante da sociedade.
E posso citar casos simples de pessoas que vendem imagem ou vamos dizer que nunca vimos alguém que vende uma imagem na área financeira, pessoas que usam um calçado que o valor desse calçado é exatamente o mesmo do seu salário, então parcelamos e quando vamos ver estamos em um mar de dívidas.
Assim também é na área familiar, enfrentamos os maiores problemas mas não buscamos ajuda, pessoas que quando estão na sua roda de amigos, o seu casamento é uma imagem, são carinhos, beijos e abraços, mas dentro de casa é totalmente ao contrário.
Assim foi com essa mulher, independente do seu marido ser um profeta, um homem de Deus, ela não criou uma imagem de que estava tudo bem, não projetou um holograma pra aqueles que a rodeavam, simplesmente não tendo mais o que fazer, ela recorre à Deus através do profeta Eliseu.
2 – Reconheço aquilo que eu tenho
E Eliseu lhe disse: Que te hei de fazer? Dize-me que é o que tens em casa. E ela disse: Tua serva não tem nada em casa, senão uma botija de azeite.
É interessante ler este texto e ver como as coisas mudam dependendo do ângulo que leio este texto.
Em uma lida rápida vemos o profeta dizendo: Que te hei de Fazer?? Que nos leva a famosa frase: O que eu tenho a ver com isso?? Não posso fazer nada por você.
A mulher quando responde ao profeta diz: Tua serva não tem nada em casa.
Mas observe de novo o texto e veja que ainda que o profeta diz: O que te hei de Fazer, ele ainda pergunta o que ela tem em casa e a mulher que a princípio diz que não tem nada, termina dizendo que tem uma pequena botija de azeite.
Afinal ela não tem nada ou ainda tem alguma coisa, realmente fico maravilhado com este texto, pois ele me mostra que:
2.1– Ninguém é tão pobre que não tenha nada.
2.2- Se olharmos direito com certeza ainda temos algo dentro de nossa casa para que o milagre aconteça.
Interessante observamos que essa mulher que não vive uma vida de imagem nos ensina um outra coisa acerca de milagre.
Então disse ele: Vai, pede emprestadas, de todos os teus vizinhos, vasilhas vazias, não poucas.
3 – Não me preocupando com a opinião alheia
Imagine essa mulher que está com dívidas e nem como comprar comida, agora começa a sair pela vizinhança e pede panelas, os vizinhos com certeza poderiam perguntar o porque disso tudo, mas ela não se preocupa, pois sabia que por mais estranho que aquilo pareça, era um ordem de Deus através do seu profeta.
4 – Estar preparado para receber
Então entra, e fecha a porta sobre ti, e sobre teus filhos, e deita o azeite em todas aquelas vasilhas, e põe à parte a que estiver cheia. Partiu, pois, dele, e fechou a porta sobre si e sobre seus filhos; e eles lhe traziam as vasilhas, e ela as enchia. E sucedeu que, cheias que foram as vasilhas, disse a seu filho: Traze-me ainda uma vasilha. Porém ele lhe disse: Não há mais vasilha alguma. Então o azeite parou.
Enfim, este é um ponto importante, conheço muitas pessoas que não estão preparadas para receber um milagre da parte de Deus e e vejo muito isso acontecer principalmente na área financeira, muitos que recebem um carro por um milagre mas agora esse mesmo carro só o leva para longe da Casa de Deus, vamos a todos os lugares com o nosso “milagre” menos na casa de Deus, pessoas que passam o dia todo cuidando, tratando do seu carro, que é o seu milagre entretanto nunca sua esposa foi tratada com tanto carinho ou cuidado, mas enquanto o seu carro, recebe muita atenção
Logo, este preparado para receber um Milagre da parte de Deus, pois com certeza já foi liberado para mim e para você, basta estarmos preparados para receber.
Por isso é hora de sair do virtual, reconheça a sua realidade e coloque sua pequena botija de azeite, sua pequena fé, sua pequena esperança nas mãos de Deus, pois com certeza Ele vai multiplicar.
«Dourado»
Texto Base 2 Reis 4

Um comentário:

Dourado disse...

Muito Obrigado pelo apoio Mano